2003
Março,
15
Apresentação de draft da candidatura ao Programa RAME (Regime de Apoio à Criação e Beneficiação de Equipamentos Colectivos no Concelho de Loures) da Câmara Municipal de Loures, com vista à concessão de um terreno para a construção de raiz de um novo centro de informação integrada e de acolhimento para refugiados.

[Consultar Síntese do Projecto]
Dezembro,
11
Reunião da Dra. Teresa Mendes (Presidente da Direcção do CPR) com o Presidente da Junta de Freguesia da Bobadela e com o Presidente da Associação de Moradores do Bairro da Figueira, com vista a analisar a possibilidade de construção do futuro Centro no Bairro da Figueira.

[Consultar Acta da reunião]
Dezembro Apresentação de 3 propostas de orçamento para o trabalho a realizar futuramente no que diz respeito à fiscalização da obra, tendo sido escolhida a empresa COFIPLAN - Gestão, Coordenação e Fiscalização, Lda..
2004
Janeiro,
20
1ª Reunião de trabalho da Comissão Dinamizadora da Construção do novo Centro de Acolhimento e Creche, na Biblioteca Municipal José Saramago (Loures), para recolha de sugestões dos principais actores envolvidos neste projecto.

[Consultar Acta da reunião]
Janeiro Assinatura do contrato de prestação de serviços com a PLANARQ - Gabinete Planeamento Arquitectura Lda, para elaboração do Projecto de Arquitectura.
Janeiro,
28
Reunião do subgrupo de trabalho incumbido de debater quais as necessidades reais em termos de equipamentos infantis para o Bairro da Figueira.

[Consultar Acta da reunião]
Fevereiro,
11
Reunião com os representantes da Associação de Moradores do Bairro da Figueira, com o objectivo de analisar a questão do levantamento topográfico do terreno onde este equipamento será implantado.

[Consultar Acta da reunião]
Março,
11
Reunião da Presidente da Direcção do CPR e da equipa de arquitectos da PLANARQ com o Dr. Carlos Andrade, Director do CDSS - Centro Distrital de Segurança Social de Lisboa, com o objectivo de analisar a questão da sustentabilidade futura da creche/ATL. Foi demonstrada vontade de apoiar financeiramente a futura instituição que ficar à frente da creche, através da realização de um protocolo com o CDSS.

[Consultar Acta da reunião]
Março,
24
Apresentação à Comissão de Dinamização da Construção do Estudo Prévio de arquitectura para futura construção do Centro de Acolhimento para refugiados + creche.

[Consultar Acta da reunião]
Março
31
Divisão de Planeamento de Equipamentos e Infraestruturas (DPEI) da Câmara Municipal de Loures disponibiliza ao CPR um terreno para a construção, no âmbito da candidatura ao Programa RAME.
Maio
...
Reuniões com a equipa de arquitectos da PLANARQ para acertar os últimos pormenores (com base nas sugestões apresentadas pela Comissão de Dinamização a 24/03/04) no Estudo Prévio de arquitectura do projecto.
Maio
4
Envio do Estudo Prévio de arquitectura ao Centro Distrital de Segurança Social (CDSS) de Lisboa - Dr. Carlos Andrade, para análise dos pormenores técnicos referentes à Creche/ATL.
Maio
7
Entrega ao Presidente da Câmara Municipal de Loures de um exemplar do Estudo Prévio para sua aprovação.
Maio
(meados)
Contactos com o CDSS de Lisboa e a Direcção de Serviços de Acção Social do ISS para verificar situação da análise dos pormenores técnicos referentes à Creche/ATL.
Junho
18
Recebemos Acta da reunião da C. M. Loures, onde é aprovada por unanimidade a cedência em direito de superfície dos 2 terrenos de 5.000m2 (conjuntamente com o terreno de 3.809 m2, que já tinha sido cedido).

[Consultar excerto do Boletim de Deliberações da Câmara Municipal de Loures.]
Junho
22
PLANARQ entrega Projecto de Licenciamento de Arquitectura (2ª fase).
Julho
19
Entrega dos Projectos de Licenciamento de Arquitectura do Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo no Departamento de Gestão Urbanística (DGU) da Câmara Municipal de Loures, para apreciação.
Julho
20
Assembleia-geral Extraordinária do CPR, para decisão sobre a aceitação da cedência em direito de superfície ao CPR de 3 terrenos em Loures, bem como discussão e deliberação sobre outras questões relativas à assinatura do Protocolo de Cedência dos referidos terrenos entre o CPR e a Câmara Municipal de Loures.
Julho
27
Assinatura da escritura de cedência de direito de superfície a título gratuito ao CPR de 3 parcelas de terreno, por parte da Câmara Municipal de Loures.
Julho
29
Reunião da Dra. Teresa Mendes (CPR) com Arqº. Jorge Catarino (DGU - C. M. Loures), Eng.º. Jorge Baptista (assessor do Presidente da C. M. Lisboa), Dra. Manuela Barreto (Departamento de Gestão do Património Municipal - C. M. Loures) e Dra. Cristina Gomes (DPEI - C. M. Lisboa) para discussão sobre o projecto de licenciamento de arquitectura.
Agosto
6
Adjudicação da elaboração do Estudo Geotécnico dos terrenos à empresa DATAGEO (após apresentação de 3 propostas de entidades diferentes).
Agosto
18
Reunião prévia no CPR para preparação do lançamento de concursos públicos de empreitada referentes à construção do Centro para Refugiados, Creche/ATL e polidesportivo (com a participação do Dr. Oliveira Antunes - Direcção do CPR, Arqº. Ferreira de Almeida - PLANARQ e Eng.º. Pires de Carvalho - COFIPLAN).

[Consultar Acta da Reunião]
Agosto
31
Reunião no CPR para análise do 1º draft do anúncio de abertura do concurso público e do caderno de encargos para a empreitada de construção do Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo.

[Consultar Acta da Reunião]
Setembro
14
Visita ao Centro de Acolhimento da Bobadela (CAB) da Dra. Ana Corte, técnica do Serviço Local Sacavém/Moscavide da Segurança Social, com o objectivo esclarecer algumas dúvidas com vista à emissão de um parecer sobre a viabilidade social do projecto de construção.
Setembro
17
Reunião no CPR para apresentação de alterações e sugestões ao programa de concurso e ao caderno de encargos para a empreitada de construção do Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo e calendarização da realização dos procedimentos relativos ao concurso público.

[Consultar Acta da Reunião]
Setembro
20
Reunião da Direcção do CPR, para análise e aprovação do programa do concurso e do caderno de encargos da empreitada de construção do Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo.
Outubro
20
DATAGEO entregou relatório final do Estudo Geotécnico dos terrenos. Evidenciando-se, neste relatório, que as parcelas em questão constituem um lote de terreno baldio onde, ao longo de vários anos, foram vazados materiais de origem diversa, predominando, contudo, os materiais de escavação e restos de demolições de edifícios, o que foi confirmado na prospecção realizada.
Outubro
21
Recepção de Ofício da DGU - C. M. Loures com emissão de parecer favorável e dando por concluída a análise do Estudo Prévio.
Outubro
25
Dra. Ana Côrte (Serviço Local Sacavém/Moscavide ISS) enviou o seu parecer para o CDSS de Lisboa. Encontrando-se, actualmente, pendente a emissão de um parecer final da unidade de Acção Social sobre a viabilidade da construção da Creche/ATL.
Outubro
27
PLANARQ entregou 1ª parte do Projecto de Especialidades relativo ao Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo.
Novembro
4
Entrega do Projecto de Especialidades no Departamento de Gestão Urbanística (DGU) - C. M. Loures.
Novembro
5
Sessão de Validação do Produto do Projecto "Acolhimento e Integração de Requerentes de Asilo" na Rede Temática 2 (tendo o sub-produto "Construção de um Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo" sido, também, validado).

[Apresentação em Powerpoint do Produto]
Novembro
10
Entrega do Projecto de Licenciamento dos Jardins Públicos envolventes aos 3 equipamentos no Departamento de Gestão Urbanística (DGU) - C. M. Loures.
Novembro
12
Recepção dos Pacotes de Certificação do ITED - Infraestruturas de Telecomunicações em Edifícios com parecer favorável relativos ao Centro para Refugiados, Creche/ATL e Polidesportivo.
Novembro
13
Recepção dos projectos de instalação de gás referentes ao Centro para Refugiados e Creche/ATL devidamente aprovados pelo Instituto Tecnológico do Gás.
Novembro
18
Reunião com PLANARQ, COFIPLAN e Dra. Rita Ramalho (Acompanhamento Jurídico do Processo de abertura de Concurso de Empreitada) para finalização dos Cadernos de Encargos.

[Consultar Acta da Reunião]
[Programa do Concurso]
[Cláusulas Gerais]
[Cláusulas Especiais]
Dezembro
3
Entrega do parecer do ISS (sobre programa preliminar do projecto de construção) e do pacote de certificação do ITED (PT Comunicações - telefones) na DGU - C. M. Loures.
Dezembro
17
Entrega na Imprensa Nacional Casa da Moeda do material para publicação em Diário da República do anúncio de abertura de concurso para a empreitada de construção.
Dezembro
23
Publicação no Jornal "Correio da Manhã" do anúncio de abertura de concurso para a empreitada de construção do novo Centro.

[Ver anúncio]
Dezembro
27
Publicação no Jornal "Público" do anúncio de abertura de concurso para a empreitada de construção do novo Centro.

[Ver anúncio]
Dezembro
29
Publicação em Diário da República do anúncio de abertura de procedimento do concurso para a empreitada de construção.

[Consultar exemplar do Diário da República, III Série, Nº 303, de 29/12/04]
2005
Janeiro
5
Reunião com a Comissão de Acompanhamento Jurídico do Processo de abertura de Concurso de Empreitada da construção do novo Centro (PLANARQ, COFIPLAN, Dr. Oliveira Antunes e Dra. Rita Ramalho) para rectificação do anúncio de abertura de concurso público para a empreitada de construção do novo Centro de Acolhimento.
Janeiro
13
Centro Social e Paroquial da Bobadela enviou pré-projecto para futura gestão da Creche/ATL.
Janeiro
18
Publicação do anúncio rectificativo (da abertura de concurso público) em Diário da República.

[Consultar exemplar do Diário da República, III Série, Nº 12, de 18/01/05]
Janeiro
19
Publicação do anúncio rectificativo de abertura de procedimento do concurso para a empreitada de construção no jornal "Correio da Manhã".

[Ver anúncio]
Janeiro
19
Reunião com a Comissão de Acompanhamento Jurídico do Processo de abertura de Concurso de Empreitada da construção do novo Centro (PLANARQ, COFIPLAN, Dr. Oliveira Antunes e Dra. Rita Ramalho) para verificação de questões logísticas relativas à abertura do concurso público para a empreitada de construção do novo Centro de Acolhimento e outras questões relacionadas com a fiscalização da obra.
Janeiro
21
Publicação do anúncio rectificativo de abertura de procedimento do concurso para a empreitada de construção no jornal "Público".
Fevereiro
3
Recepção da aprovação do projecto de segurança contra riscos de incêndios por parte do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil - Centro Distrital de Operações de Socorro de Lisboa.
Fevereiro
3
Reunião da Comissão de Abertura do Concurso Público - última reunião preparatória, antes da Sessão do Acto Público da abertura de propostas para a empreitada "Construção do Edifício do Centro de Acolhimento e Integração para Refugiados, Creche/ATL, Polidesportivo descoberto e Jardim Público nas freguesias da Bobadela e S. João da Talha no concelho de Loures".
Fevereiro
15
17:00
Prazo final para recepção das propostas para a empreitada de "Construção do Edifício do Centro de Acolhimento e Integração para Refugiados, Creche/ATL, Polidesportivo descoberto e Jardim Público nas freguesias da Bobadela e S. João da Talha no concelho de Loures".
Fevereiro
15
Reunião da Comissão de Abertura do Concurso Público - para verificação das propostas apresentadas a concurso e ultimar preparativos da Sessão do Acto Público.
Fevereiro
16
Sessão do Acto Público de abertura das propostas recepcionadas para a empreitada de "Construção do Edifício do Centro de Acolhimento e Integração para Refugiados, Creche/ATL, Polidesportivo descoberto e Jardim Público nas freguesias da Bobadela e S. João da Talha no concelho de Loures.

[Consultar Acta da Sessão]
[Consultar Anexo da Acta]
Fevereiro
18
Primeira reunião (restrita) da Comissão de Abertura do concurso público, para verificação das 3 propostas apresentadas.
Fevereiro
25
Recepção da certificação do projecto de instalações eléctricas do futuro Centro para Refugiados, por parte da CERTIEL.
Fevereiro
25
Segunda reunião (restrita) da Comissão de Abertura do concurso público, para redacção do relatório de qualificação dos concorrentes.
Março
4
Reunião do CPR e PLANARQ com Arqº. João Rocha (GPAO - ISS), com vista à clarificação de quais as alterações a efectuar ao projecto da Creche/ATL com vista a um melhor aproveitamento dos espaços.
Março
14
Envio do Relatório de Qualificação às 3 empresas concorrentes do concurso público.
Março
21
Reunião da Comissão de Abertura e Comissão de Análise do concurso da empreitada com o CPR e a PLANARQ, para entrega do relatório prévio elaborado pelo Eng.º Pires de Carvalho e pelo Eng.º Estorninho (comparação dos preços das propostas apresentadas com os da PLANARQ).

[Consultar Acta da reunião]
Abril
4
Reunião da Comissão de Abertura e Comissão de Análise do concurso da empreitada com o CPR e a PLANARQ, para apresentação de alterações ao projecto por parte da equipa projectista, com vista à diminuição do orçamento apresentado.
Abril
19
Reunião da Comissão de Lançamento da Construção de um novo equipamento para o concelho de Loures, constituído por um Centro para Refugiados, Creche/ATL, Polidesportivo descoberto e jardim público -Biblioteca Municipal José Saramago (Loures).Com o objectivo de apresentar o projecto final de construção e verificar o ponto de situação sobre a aprovação pela Câmara Municipal de Loures da licença de construção.

[Consultar Acta da reunião]
Maio
20
Reunião final da Comissão de Análise e elaboração de relatório a enviar aos concorrentes, com intenção de adjudicação.
Maio
24
Cooperativa Sócio-Educativa para Desenvolvimento Comunitário enviou projecto para futura gestão da Creche/ATL.
Maio
25
Envio do Relatório final de Qualificação do concurso público aos 3 concorrentes do concurso - foi escolhida a empresa Constructora San José, S.A. para adjudicação da empreitada.
Junho
2
Reunião da Comissão de Análise do concurso + CPR, para preparação do contrato de adjudicação da empreitada.
Junho
8
Instituto Piaget telefonou ao CPR, manifestando interesse em apresentar a sua candidatura à gestão futura da Creche/ATL.
Junho
9
Sessão Solene de lançamento da primeira pedra da construção do novo Centro para Refugiados, Creche/ATL, Polidesportivo descoberto e jardim público. Esta Sessão contou com a participação do Eng.º António Guterres, no seu primeiro acto oficial enquanto Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados indigitado. Bem como com a presença do Dr. José Magalhães (Secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna) e do Dr. Jorge Lacão (Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros). Nesta Sessão foi entregue pelo Presidente da Câmara Municipal de Loures à Presidente da Direcção do CPR a licença de construção destes equipamentos.

[Consultar Relatório da Sessão]
[Consultar texto do papiro colocado no local]
  
  
Junho
17
Reunião com a Comissão jurídica de apoio à elaboração do concurso público e Eng.º Pires de Carvalho, para reunir documentação para assinatura do contrato de adjudicação da empreitada.
Junho
20
12:45
Assinatura do contrato de adjudicação da empreitada de construção do novo Centro à Constructora San José, S.A. (no actual Centro de Acolhimento da Bobadela - CAB).
Julho
18
15:00
Auto de consignação da empreitada de construção (início dos trabalhos e da contagem do prazo).
Julho,
18

a

Agosto,
31

Durante este período, o Empreiteiro (Constructora San José, S.A.) desenvolveu as seguintes actividades:

  • Vedação do terreno da obra;
  • Montagem do estaleiro;
  • Montagem das 2 gruas previstas;
  • Escavação geral do terreno e transporte de terras a vazadouro.

O Empreiteiro iniciou, também, outras actividades (ainda não concluídas):

  • Construção de muros gabiões;
  • Construção de fundações directas;
  • Sondagens nas zonas dos pilares para avaliação da necessidade de estacas, Pegões ou fundações directas;
  • Construção de muros em betão (1ª betonagem realizada em 26/08/05).

Devido ao tipo de aterro no terreno onde a obra vai ser construída, houve a necessidade de alterar o método construtivo previsto no projecto original para as estacas; pelo que a obra apresenta um atraso estimado em 2 semanas relativamente ao prazo proposto.

Durante o mesmo período, no CPR (Dono de Obra), efectuaram-se todas as diligências com o intuito de proceder à entrega de documentos solicitados pelo Empreiteiro (ex. plantas de cadastro de localização do terreno e outros), bem como à entrega e levantamento de documentos no Departamento de Gestão Urbanística (DGU) da Câmara Municipal de Loures. Realizaram-se, ainda, algumas reuniões internas com os técnicos que têm estado a acompanhar a obra.

  
Setembro
1 a 30
Após 11 semanas de desenvolvimento da empreitada, constatou-se que o terreno disponibilizado pela Câmara Municipal de Loures para a construção da obra apresenta problemas de aterro e camadas geológicas pouco resistentes, o que tem vindo a gerar grandes dificuldades na escolha e selecção dos tipos de fundações a utilizar, bem como consequências em custos adicionais para o projecto (Fig.1). Durante este período, entrou em obra a máquina de cravação de estacas (05/09/05) (Fig.2). Após iniciados os trabalhos desta máquina, surgiram algumas dúvidas relativamente à resistência do terreno às profundidades previstas para cravar as estacas, o que implicou a paragem da sua construção para que se realizassem testes de SPT (Standard Penetration Test) em diversos pontos, para avaliar a resistência do terreno (1ª fase dos ensaios de 12/09/05 a 16/09/05)(Fig.3).

Avarias diversas e sistemáticas na máquina de perfuração de estacas implicaram paragens sucessivas e um rendimento abaixo do esperado.

Tendo o CPR solicitado ao empreiteiro que aumentasse o número de máquinas de cravar estacas em obra. Face à impossibilidade de dar resposta a este pedido, o empreiteiro propõe uma nova solução alternativa no projecto de fundações.

A 26/09/05 rebenta a cabeça de perfuração da máquina de rotopercussão o que implica uma paragem total da produção de estacas por um período que foi estimado em cerca de 2 meses, correspondente ao tempo estimado para substituição da cabeça de perfuração por uma nova. Devido a esta impossibilidade de continuar a cravação de estacas de diâmetro de 375mm, o empreiteiro propõe mais uma outra alteração no projecto de fundações (encontrando-se, actualmente, em análise pelo dono de obra esta solução).

Devido ao atraso provocado pela paragem da máquina de cravar estacas, o empreiteiro solicitou autorização à equipa de Fiscalização da obra para reiniciar os ensaios de SPT (início da 2ª fase dos ensaios a 29/09/05 e conclusão a 04/10/05).
  


Outubro
1 a 31
Face aos atrasos provocados pela falta de uniformidade de aterro e camadas geológicos do terreno, bem como pelas sucessivas avarias na máquina de cravação de estacas, no mês anterior, o CPR (dono de obra) decidiu aceitar a alteração ao projecto de fundações sugerida pela Constructora San José (empreiteiro).

Nesse sentido, o empreiteiro pôde dispor de diversas frentes de trabalho, o que lhe permitiu avançar com a obra a um ritmo não possível anteriormente.

Durante este período, o empreiteiro desenvolveu, entre outras, as seguintes grandes actividades:
  • Cofragem e colocação de armaduras de ferro de pórticos e laje do Piso 0 (do Centro para Refugiados);
  • Cofragem da escada entre o Piso - 1 e 0 (do Centro para Refugiados);
  • Betonagem do muro separador entre a rua e o Polidesportivo;
  • Realização de ensaios SPT (Standard Penetration Test);
  • Escavação para abertura da fundação da base para a Creche/ATL;
  • Escoramento e cofragem do tecto do Auditório (do Centro para Refugiados).

    Actualmente, o final da obra encontra-se previsto para o mês de Abril de 2006.

    Durante o mesmo período, no CPR (Dono de Obra), realizaram-se as reuniões regulares com os técnicos que têm estado a acompanhar a empreitada de construção.
  •   


    Novembro
    1 a 30
    Durante este período, foram concluídas duas actividades de grande importância para esta empreitada: a cravação de estacas e o ensoleiramento geral nos edifícios dos Balneários e ATL.

    Estavam, ainda, previstas algumas actividades que não tiveram início:
  • Início do levantamento de alvenarias do edifício do Centro de Acolhimento;
  • Impermeabilização e isolamento da cobertura no edifício do Centro de Acolhimento;
  • Construção da laje de cobertura do Auditório;
  • Levantamento de alvenarias no edifício dos Balneários;
  • Rede de águas e esgotos no edifício dos Balneários e Polidesportivo.

    Nesse sentido, e face ao Plano Definitivo de Trabalhos aprovado a 24/10/05, detectam-se alguns atrasos na obra (encontrando-se, actualmente, a conclusão da obra prevista para final de Abril de 2006).

    A 10/11/05, realizou-se uma visita à obra por parte da Direcção do CPR e do Gabinete de Gestão EQUAL (na pessoa da Dra. Ana Vale, Gestora nacional e do Dr. Rui Antunes, Tutor do projecto).

    Nesta fase dos trabalhos, surgiu um novo problema devido ao desenvolvimento da construção do Auditório, na medida em que foi atingida uma altura de construção que está abaixo da distância mínima de segurança às linhas de média tensão que atravessam o terreno. Face a esta contingência, surgiu a necessidade de se proceder ao levantamento/deslocação da linha de média tensão que passa sobre o Auditório, tendo para esse efeito sido efectuado um pedido à EDP/REN. Aguarda-se, entretanto, a resolução desta situação, de modo a que se reiniciem os trabalhos no Auditório.
  •   








    Dezembro
    1 a 31
    Durante este período, foram desenvolvidas, entre outras, as seguintes grandes actividades:
    • Preparação da base do Piso 0 no edifício do Centro de Acolhimento;
    • Montagem de armaduras de ferro de vigas de fundação, sapatas de pilares e respectiva cofragem no lado Norte do edifício Creche/ATL;
    • Descofragem final e limpeza de excedentes na Cave do edifício do Centro de Acolhimento;
    • Levantamento de paredes de alvenaria de tijolo nas zonas da Cave, Piso 0 e escada de ligação da Cave ao Piso 0 do edifício do Centro de Acolhimento, bem como no edifício dos Balneários;
    • Instalação da rede de esgotos de águas residuais domésticas no edifício da Creche/ATL e na Cave do edifício do Centro de Acolhimento;
    • Construção de caixas de visita da rede de esgotos no edifício da Creche/ATL.


    No que diz respeito ao problema, que tinha surgido durante o mês de Novembro, da linha de média tensão que passa sobre o Auditório, e que deveria ser desviada de modo a manter as distâncias mínimas de segurança estabelecidas; continua a aguardar-se a sua resolução, após ter sido efectuado o respectivo pedido à EDP.

    Analisado o conjunto de trabalhos efectuados até à data, a equipa de Fiscalização estima a existência de um atraso, aproximadamente, de 3 semanas na obra. No entanto, a sua conclusão continua prevista para final de Abril de 2006.

    Para Janeiro de 2006, está previsto iniciarem-se as especialidades de instalações técnicas na obra.
      






    2006
    Janeiro
    1 a 31
    Apesar do atraso, estimado em cerca de 7 semanas, a Constructora San José, S.A. manteve o prazo de 282 dias para a completa execução da obra (estando a data prevista para a conclusão a 25/04/06); pelo que a equipa de Fiscalização decidiu confrontar o empreiteiro com esta realidade discrepante, tendo este último assumido a necessidade de proceder à reformulação do Plano de Trabalhos.

    Neste período foram desenvolvidas, entre outras, as seguintes grandes actividades:
    • Construção de muros gabiões;
    • Assentamento/levantamento de paredes de alvenaria do Piso 0 do ATL, do Piso 0 do edifício do Centro de Acolhimento, do ATL;
    • Montagem de armaduras de ferro dos pórticos de bordadura e da laje de cobertura do edifício da Creche;
    • Construção de caixas de visita para rede de esgotos no bloco dos Ateliers;
    • Montagem das redes de águas e esgotos nas instalações sanitárias do ATL;
    • Montagem das redes de águas e esgotos nas instalações dos Balneários;
    • Fecho de valas das tubagens de esgoto enterradas na área exterior dos Balneários;
    • Escavação para abertura de valas para rede de esgotos enterrada na zona exterior do edifício da Creche;
    • Reboco das paredes exteriores de alvenaria do ATL;
    • Marcações de roços nas paredes de alvenaria do edifício do Centro de Acolhimento;
    • Montagem das redes de esgotos nas instalações da Creche;
    • Montagem das redes de águas no edifício do Centro de Acolhimento.
    Durante este mês foi, finalmente, desbloqueada a situação relativa ao desvio da linha de média tensão da EDP que passava sobre o Auditório. A solução encontrada pela EDP obrigou à instalação de um poste de 22 metros de altura no interior do terreno, na zona de inflexão do Muro de Gabiões, em frente ao lago localizado à saída do Auditório. Apesar deste problema já se encontrar resolvido, e de acordo com a equipa de Fiscalização, a sua resolução ultrapassou em 1 semana a data limite estipulada, tendo acarretado repercussões ao nível do atraso no desenvolvimento da obra.

    Por outro lado, aguarda-se, ainda, que a Portugal Telecom proceda ao desvio de um poste de linha telefónica que se encontra localizado junto à entrada do edifício do Centro de Acolhimento.

    No que diz respeito às instalações de Águas e Esgotos, devido a normativas municipais dos Serviços Municipalizados de Águas e Saneamento de Loures (SMAS), surgiu a necessidade de se proceder a um pedido de vistoria das instalações (incluindo as interiores). Os SMAS informaram que os custos dos ramais de alimentação de águas e ligação dos esgotos são da função da área do terreno em que os edifícios estão implantados (o que poderá significar elevados custos no empreendimento, caso não seja possível obter dispensa do pagamento destas taxas).

    Neste mês, registou-se, também, a 06/01/06, a ocorrência do primeiro acidente de trabalho desde o início da obra: um dos pedreiros desequilibrou-se, ao pisar restos de materiais (tijolos) espalhados no chão, provocando a queda sobre os mesmos, da qual resultou uma fractura num dedo da mão direita. Face a esta ocorrência, a equipa da Fiscalização solicitou ao empreiteiro que se procedesse regularmente à intensificação da limpeza de materiais sobrantes e entulhos espalhados pela obra.

    A 20/01/06, o empreiteiro realizou um churrasco no local da Obra, segundo a tradição, para comemorar a conclusão dos trabalhos de alvenarias e o início dos trabalhos de especialidades de instalações técnicas.
      
       
    Fevereiro
    1 a 28
    A conclusão da obra continua, oficialmente, prevista para final de Abril de 2006, apesar do atraso que se verifica a esta data, estimado em 8 semanas. O empreiteiro já assumiu a necessidade de proceder à reformulação do Plano de Trabalhos; sendo que, à actual data, tudo indica que a conclusão da obra se arraste até finais de Junho de 2006.

    Durante este mês, foram desenvolvidas as seguintes grandes actividades:
    • Montar tubagem de instalação eléctrica no Centro de Acolhimento;
    • Assentamento de tampas de fero nas caixas de visita da rede de esgotos no Piso 0 da Creche/ATL;
    • Montagem de tubagem de redes de águas nas paredes de alvenaria nos Pisos 0 e 1 do Centro de Acolhimento;
    • Reboco parcial das fachadas do ATL, Centro de Acolhimento e edifício dos Balneários;
    • Aterro e compactação mecânica da rampa de entrada de veículos para a cave do Centro de Acolhimento;
    • Marcação e compactação mecânica da área onde irá ser construído o lago A (anexo ao Bloco de Ateliers) e do Lago B (junto ao Auditório);
    • Reboco das paredes interiores do edifício dos Balneários;
    • Acerto/cofragem de caixilhos e ombreiras de portas e janelas no ATL e no Centro de Acolhimento;
    • Assentamento de soleiras e peitoris em pedra Azul Valverde amaciada com 40mm de espessura, em portas, janelas e corredores do Centro de Acolhimento;
    • Assentamento de soleiras e peitoris em pedra Azul Valverde amaciada com 40mm de espessura, em portas, janelas e corredores da Creche/ATL;
    • Aplicação de estuque projectado nas paredes de alvenaria do Piso 1 do Centro de Acolhimento;
    • Assentamento de telas de xisto na cobertura do Centro de Acolhimento;

    No que diz respeito às instalações Eléctricas, devido à parca disponibilidade de potência, foi decidido anular o aquecimento eléctrico de águas quentes através de termoacumuladores, ficando a produção de água quente entregue a painéis solares e caldeiras murais a gás. Em relação às instalações de Águas e Esgotos, por decisão do SMAS, durante uma vistoria à obra, surgiu a necessidade de se proceder à alteração do projecto de esgotos do edifício do Centro de Acolhimento. Por outro lado, continua a aguardar-se que a Portugal Telecom proceda ao desvio do poste da linha telefónica que se encontra localizado junto à entrada do edifício do Centro de Acolhimento.

    Após 7 meses de obra, e de acordo com o parecer da equipa de Fiscalização, as condições climatéricas adversas (com fins-de-semana chuvosos e ventosos) durante o mês de Fevereiro continuaram a implicar a existência de muita lama no terreno, o que dificultou o desenvolvimento de algumas actividades no exterior.
    Por outro lado, como foi decidido avançar com a conclusão dos acabamentos do auditório (decisão que tinha ficado suspensa até verificação do orçamento do projecto), esta situação irá acarretar algum deslize na data de conclusão da obra.
      
    Março
    1 a 31
    Durante o período de 1 a 31 de Março de 2006, foram realizadas as seguintes grandes actividades:
    • Execução da última fase de impermeabilização da cobertura da Creche, da cobertura do bloco de Ateliers;
    • Montagem de redes de águas e esgotos domésticos nos tectos e paredes do Centro de Acolhimento e bloco de Ateliers;
    • Revestimento final das paredes do corredor do Piso 1 do Centro de Acolhimento com estuque projectado e acabamento à régua;
    • 2ª demão de pintura com tinta vermelha nas fachadas da Creche/ATL, Centro de Acolhimento e bloco de Ateliers;
    • Revestimento das paredes com mosaico cerâmico e assentamento de mosaico cerâmico preto nos pavimentos das instalações sanitárias (I.S.) no Piso 1 do Centro de Acolhimento;
    • Montagem de instalação de ar condicionado e condutas de ventilação no Centro de Acolhimento;
    • Montagem de estrutura de suporte de tectos falsos no Piso 1 do Centro de Acolhimento.
    A Constructora San José, S.A. apresentou, a 15/03/06, um pedido formal de prorrogação de 65 dias para a empreitada, sendo a nova data de conclusão da obra prevista para 29 de Junho de 2006. Face às razões invocadas pelo empreiteiro, o Conselho Português para os Refugiados (CPR) entendeu não serem as mesmas justificativas de tal prorrogação, pelo que a petição não foi aceite (mantendo-se, assim, válido o Plano de Trabalhos com data de conclusão prevista para 25/04/06).

    O atraso estimado a esta data é de cerca de 10 semanas; pelo que, caso o empreiteiro não consiga recuperar este atraso, a data mais provável para o término da obra será meados de Julho.

    A 06/03/06 o empreiteiro procedeu à deslocação do estaleiro para fora do local da obra, tendo para o efeito obtido autorização de um vizinho para ocupação do terreno que ocupa presentemente.

    Na especialidade de Arquitectura, foi decidido proceder à ampliação do edifício dos Balneários e criar uma zona de bar de apoio ao Auditório. No que diz respeito à especialidade de Electricidade, foi, também, decidido avançar com um sistema multimédia e audiovisuais para o Auditório.

    Por outro lado, continua ainda por resolver o problema da deslocação dos postes da PT que impedem a conclusão dos trabalhos, em particular junto à entrada do Centro de Acolhimento. Aguardando-se para breve a resolução deste problema, após contactos efectuados pelo dono de obra com esta empresa.

    A 20/03/06 a Direcção do CPR e a equipa técnica do projecto realizaram uma visita à obra, inserida no âmbito das reuniões quinzenais de acompanhamento da empreitada de construção. A 28/03/06 a entidade nacional Gestora da Iniciativa Comunitária EQUAL (na pessoa da Dra. Ana Vale, Dra. Maria do Carmo Nunes e da Dra. Emília Arroz) efectuou, também, uma visita à obra, para verificação dos avanços do projecto.
      
    Abril
    1 a 30

    Durante o período em análise, foram realizadas as seguintes grandes actividades:

    • Acabamento de estuques em paredes e tectos, no interior do edifício do Centro de Acolhimento e da Creche;
    • Revestimento das paredes das instalações sanitárias com mosaico cerâmico, no edifício da Creche e no bloco de Ateliers;
    • Aplicação de betume nas juntas dos mosaicos cerâmicos de revestimento das paredes das instalações sanitárias, nos Pisos 0 e 1 do Centro de Acolhimento;
    • Abertura de vala para assentamento das caixas de visita para a rede de esgotos do Centro de Acolhimento;
    • Montagem de tubagens de rede de incêndios no tecto da cave do Centro de Acolhimento;
    • Revestimento da fachada nascente do Auditório com granito pedras salgadas;
    • Montagem do portão metálico de correr de tipo Beckaert à cor RAL 9010 branco no vão de entrada/saída da Cave do Centro de Acolhimento;
    • Revestimento das paredes interiores das cozinhas do Centro de Acolhimento e da Creche com assentamento de mosaico cerâmico;
    • Montagem da rede de gás na cozinha e casa da caldeira do Centro de Acolhimento;
    • Montagem da rede de gás na cozinha da Creche;
    • Revestimento com betão leve do pavimento do pátio do Centro de Acolhimento;
    • Montagem dos ramais de saída da rede de esgotos domésticos e pluviais dos edifícios, com ligação às respectivas caixas de visita;
    • Montagem de barras guia e suportes de apoio metálicos nas paredes do elevador do Centro de Acolhimento;
    • Montagem de estrutura metálica de suporte do tecto falso no Piso 1 do Centro de Acolhimento.

    Em relação ao Projecto de Arranjos Exteriores -zonas verdes-, o mesmo encontra-se em reformulação, devido às alterações realizadas nos muros gabiões.

    Também na especialidade de Electricidade, se encontra em curso a definição e pormenorização da integração dos projectos de electricidade e som do Auditório.

    Na especialidade de Águas e Esgotos, surgiu a necessidade de alterar o projecto da rede de esgotos do Centro de Acolhimento, por imposição do SMAS de Loures.

    Continua a aguardar-se que a Portugal Telecom proceda ao desvio de um poste de linha telefónica que se encontra localizado junto à entrada do edifício do Centro de Acolhimento.

    As condições climatéricas adversas dos meses transactos deixaram de se verificar durante este mês, pelo que passou a ser possível ao empreiteiro desenvolver actividades no exterior.

    Por outro lado, foi decidido pela Direcção do CPR avançar com a instalação de um sistema de videovigilância no Centro de Acolhimento.

    O edifício dos Balneários apresenta assentamentos num dos lados, consequência da insuficiente resistência do terreno. O projectista de estruturas tem em curso o estudo do reforço da estrutura de ensoleiramento geral existente no edifício.

    Durante este mês, o empreiteiro reforçou diversas frentes de trabalho com múltiplas equipas a trabalhar em simultâneo nos diversos edifícios. Apesar disso, o atraso na entrega das caixilharias por parte do fornecedor condicionou largamente a evolução dos trabalhos no interior dos edifícios.

    Após 9 meses de obra, e de acordo com o parecer da equipa de Fiscalização, está, oficialmente, ultrapassada a data de conclusão da empreitada (a qual, no Plano de Trabalhos aprovado era 25/04/06). Apresentando, a esta data, um atraso de 10 semanas, o que significa que a sua conclusão se arrastará até meados de Julho de 2006.

      
    Maio
    1 a 31
    A Constructora San José, S.A. efectuou um pedido de prorrogação da empreitada de construção para o dia 29/06/06. Este pedido não foi aceite pelo CPR, indo ser, porém, analisado numa reunião conjunta entre CPR/PLANARQ/COFIPLAN e Constructora San José, S.A., para apuramento de responsabilidades.

    No entanto, o atraso estimado pela equipa de Fiscalização a esta data é de cerca de 8 semanas, pelo que, caso o empreiteiro não consiga recuperar este atraso, a data mais provável para a conclusão da obra será o final de Julho.

    Face à nova data solicitada pelo empreiteiro para término da obra, o CPR renovou os contratos com a PLANARQ, para o apoio técnico à obra e com a COFIPLAN, para fiscalização da obra.

    Todavia, durante este período, o atraso que se verificou na entrega das caixilharias condicionou largamente a evolução dos trabalhos no interior dos edifícios, provocando mais um novo atraso na conclusão da obra (pelo que se estima que a melhor data prevista seja a de 31 de Julho de 2006, exceptuando as sementeiras dos jardins envolventes que não poderão ser realizadas em pleno período estival).

    Durante o período em análise, foram realizadas, entre outras, as seguintes grandes actividades:
  • Execução de calçada portuguesa em frente ao edifício do Centro de Acolhimento;
  • Revestimento das arrecadações da cave e dos degraus interiores e exteriores do edifício do Centro de Acolhimento com mosaicos cerâmicos;
  • Cofragem do muro de contenção de terras entre a Creche/ATL e o edifício do Centro de Acolhimento;
  • Distribuição de terra vegetal nas zonas mais baixas do terreno junto à ribeira;
  • Descofragem do muro de contenção de terras entre a Creche/ATL e o edifício do Centro de Acolhimento;
  • Montagem de vidros nas caixilharias de alumínio e isolamento de vãos com massa vedante no edifício do Centro de Acolhimento;
  • Assentamento de rodapés com mosaicos cerâmicos na Creche;
  • Assentamento de portas em aglomerado de madeira revestida a faia nos Pisos 0 e 1 do edifício do Centro de Acolhimento;
  • Montagem da rede exterior de gás no edifício do Centro de Acolhimento;
  • Montagem de armários roupeiros nos quartos do Piso 1 do edifício do Centro de Acolhimento;
  • Montagem da estrutura de suporte dos painéis de revestimento Prodema no Auditório;
  • Assentamento de decks de madeira no pavimento do pátio do edifício do Centro de Acolhimento.

    Continua a aguardar-se que a Portugal Telecom proceda ao desvio do poste da linha telefónica que se encontra localizado junto à entrada do edifício do Centro de Acolhimento, apesar de já ter sido retirada do poste a totalidade dos cabos telefónicos e da TV Cabo.

    Neste período, foi decidido avançar com a instalação de 2 centrais telefónicas para o Centro de Acolhimento e Creche/ATL, bem como com a instalação de um sistema de controlo de ponto para o edifício do Centro de Acolhimento, os quais não se encontravam previstos contratualmente.
  •